Buscar
  • Maisa Dóris

Quem tem medo de redação?

Quase todas as disciplinas ensinadas na escola causaram ou causam algum tipo de aversão ou trauma na gente. Umas das que encabeça a lista é a redação. Tenho certeza de que se for seu caso você já até arrepiou aí só de ler a palavra.


Está certo que não dá para gostarmos de tudo e sermos bons em tudo. Mas a aversão geralmente está ligada a um comportamento de afastamento e de que aquilo seja então evitado. Particularmente no caso da redação é uma pena, afinal se comparássemos, por exemplo, o número de vezes na vida que precisaremos de nossa escrita, nossa expressão no texto com o número de vezes que calcularemos a tal hipotenusa a resposta estaria bem evidente: você precisará durante toda a sua vida se expressar em diversas formas de texto. Vai desde a primeira mensagem para um “crush”, até um texto sobre você para te classificar para uma entrevista de emprego. Não é para menos que o peso de redação nos exames vestibulares sempre foi alto. E os exemplos não param. Seu resumo profissional, sua descrição na página do Facebook ou mesmo Instagram. Seu material que apresenta seu trabalho ou o convite de aniversário do seu filho que você tanto gostaria de enviar com uma mensagem mais tocante aos seus amigos mais próximos. Se você ainda duvida dessa trava lembre-se dos cartões de felicitações: há aqueles em branco e aqueles com mensagem padrão. Se você opta pelo já escritos com mensagens padrão, pode ser um indicativo desse bloqueio, rs!


Essa trava ou seja lá o que for que possa ter te afastado do texto talvez deva ter acontecido porque você não foi preparado antes de escrever. E o que fazemos antes de escrever? Refletimos, conectamos a nós mesmos. Texto é conexão. Escrever é conexão.


Lembra que te diziam que quem lê mais fala melhor e escreve melhor? Mesma coisa. Conexão. Os livros que lhe foram indicados não se conectavam às suas ideais ou como você estava concebendo o mundo, o seu mundo. Lembre-se: conexão. As coisas precisam fazer sentido, senão nos desinteressamos delas e partimos para outra, porém o triste é que às vezes abandonamos habilidades que poderiam nos ser muito úteis durante toda a vida e o texto é uma dessas habilidades.


Um texto forte conecta, convence e para ser mais atual, engaja. Um texto forte é o que está por trás de um bom filme ou série. É o texto que faz você amar uma determinada propaganda ou marca. É o texto que fazendo amor com as ideias faz nascer grandes negócios e até mesmo impérios são construídos. O texto é sem dúvida uma das manifestações mais fortes de nossa intuição, de nossa “leitura de mundo” e exteriorização do que então entendemos e interpretamos.


Se você não ama escrever tudo bem, mas jamais diga “odeio” a escrita ou “odeio redação”. Se você fizer isso é um canal importante que você está fechando, não permitindo de forma alguma que ele seja iluminado em sua caminhada. Esteja aberto, aberta. Conecte-se a você e sua essência, deixe a sua comunicação passear por dentro de você e entenda que se daí surgir uma frase que seja, será sem dúvida alguma seu “Eu Superior” atuando, comunicando-se com você e então com o mundo. Garanto que será uma experiência a qual você jamais se esquecerá e certamente desejará vive-la mais uma vez e mais uma vez, mais uma vez e mais uma vez...


#tudoétexto

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Maisa Dóris © 2020